Me foi enviado por uma irmã!
Rm 6.1-14
Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. (Hebreus 10:26-27)
Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado. (João 8:34)
O pecado é produto criado e promovido pelo Diabo (João 8.44).




NÃO TROQUE O NOME DO PECADO. O pecado tem sido disfarçado nestes dias, aparecendo com novos nomes e caras. Você pode estar sendo exposto a esse fenômeno na escola. O pecado é chamado por diversos nomes enfeitados - qualquer nome, menos pelo que ele realmente é. Por exemplo:


1- Os homens já não ficam mais sob convicção de pecados; eles têm um complexo de culpa. Em lugar de confessar suas culpas a Deus, para se livrarem delas, deitam-se num divã e tentam relatar o que sentem a um homem que deve conhecer melhor tudo sobre eles. Após algum tempo, a resposta dada é que eles foram profundamente desapontados quando tinham dois anos, ou alguma coisa semelhante. Supõe-se que isso os fará sentirem-se melhor.

2- A prostituição tornou-se um "programa". Seus agentes passaram a se chamar "profissionais do sexo".
- Adultério virou caso extraconjugal.
- Corrupção e desonestidade subsistem sob o codinome de esperteza ou "jeitinho brasileiro". O rótulo mudou, mas o veneno continua o mesmo (Is. 5.20). O pecado é ainda o mesmo antigo inimigo da alma. Ele nunca foi alterado. Precisamos tratar seriamente com o pecado em nossa vida. Lembremo-nos sempre disso. "O reino de Deus não é comida nem bebida", disse o apóstolo Paulo, "mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" (Rm 14.17). A justiça repousa à porta do reino de Deus. "A alma que pecar, essa morrerá" (Ez 18. 4, 20).
Não estou pregando a perfeição sem pe cado. Antes, quero dizer que todo pecado conhecido deve ser nomeado, identificado e repudiado, e que devemos confiar em Deus para nos libertar dele, para que não exista qualquer pecado consciente, deliberado em qualquer parte de nossa vida. É absolutamen te necessário que façamos isso, porque Deus é um Deus santo, e o pecado está no trono do mundo.



Portanto, não chame seus pecados por algum outro nome.

- Se você é invejoso, chame-o de INVEJA.
- Se você tem a tendência à autocomiseração e a sentir que não é apre ciado, mas é como uma flor que nasce para morrer despercebida, a desgastar sua doçura no ar do deserto, chame esse pecado pelo que ele é: AUTOPIEDADE.
- Se você por qualquer motivo explode emocionalmente, chame esse pecado de IRA.
- Se você exagera no comer ou beber, chame esse pecado de gluonaria, gula.
-Se você se acha melhor do que todos e com isso tem sempre a necessidade de aparecer, de ser visto passando inclusive por cima de padrões éticos, chame esse pecado de ORGULHO.
- Se você tem um apego exagerado ao dinheiro e as coisas, cheme esse pecado de AVAREZA.
- Se você tem aversão ao trabalho chame esse pecado de PREGUIÇA.
- Se você tem uma impulsividade desenfreada, um prazer pelo excesso, inclusive sexual, chame esse pecado de LUXÚRIA.
- Se você não vence o desejo de ver fotos e vídeos eróticos, chame esse pecado de PORNOGRAFIA.
- Se você não perdoa, chame esse pecado de RESSENTIMENTO. Há pes soas que vivem num estado de indignação furiosa a maior parte do tempo. Há pessoas que agem como uma galinha lançada fora do ninho: elas ficam correndo em todas as direções queixando-se e murmurando - al guém está sempre os fazendo errar.
- Mau – humor, é outro pecado que tem escravisado muita gente. Não tente chamá-lo de algum outro nome. Chame-o pelo que ele é. Porque, se você tem mau humor, ou você se desfaz dele ou ele desfará muito de sua espiritualidade e alegria.

Se você esta sendo escravisado por por algum destes pecados que mensionei, tem de tratar com ele ou com eles imediatamente. Você precisa livrar-se disso. O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado. Em lugar de tentar disfarçar o pecado ou procurar uma tradução grega opcional em algum lugar sob a qual ocultá-lo, chame-o por seu nome correto e livre-se dele pela graça de Deus. Por conseguinte, tratemos do pecado com seriedade. Sejamos sinceros e transparentes, Deus ama as pessoas sinceras. A Bíblia diz, aquele que confessa e deixa, alcança misericordia. (Pv 28.13)

NÃO FLERTE COM O PECADO.
Há pessoas que acham que tem o direito de pecar. Quem já não ouviu a frase: “Você merece ser feliz!” Esta frase, tão bonita, tem sido usada como desculpa para diversas transgressões, principalmente no âmbito sexual. Seu significado distorcido nada mais é do que a exaltação do egoísmo, que tem sido colocado acima da perseverança, da fidelidade e do amor. Em uma civilização regida pelo humanismo hedonista e imediatista, parece que qualquer tipo de sofrimento precisa e deve ser interrompido rapidamente, mesmo que a saída seja pecaminosa. Até as palavras de Cristo são usadas, de modo distorcido, para justificar a prática do mal, quando se diz que "a carne é fraca" (Mt. 26.41). Parece que pecar tornou-se, além de direito, uma necessidade urgente. Entretanto, cada discípulo de Jesus precisa negar a si mesmo (Mt. 16.24), esperando o livramento ou o suprimento celestial, assim como o Mestre perseverou até a morte, mesmo quando muitos sugeriam que ele descesse da cruz (Mt. 27.40).

Pecado virou sinônimo de prazer (IITss. 2.12). É por isso que a Biblia diz: “O resultado disso é que serão condenados todos os que não crêem na verdade, mas têm prazer no pecado.” Notamos, principalmente na literatura e na música popular, o uso "positivo" da palavra pecado. Pecar parece algo atraente e compensador. Da mesma forma como ser "irreverente" tornou-se qualidade no vocabulário moderno.

Cuidado com os vendedores do pecado. Eva foi tentada pela serpente, mas quem tentou Adão? A própria mulher que, naquele instante, comportou-se como representante de Satanás para oferecer o fruto proibido ao marido (Gn. 3.6). Da mesma forma, muitos têm exercido esse papel atualmente, entre os quais se destacam alguns artistas e outros formadores de opinião, que assumem a prática pecaminosa em suas mais insidiosas formas, tornando-se seus defensores ferrenhos, como se fossem coisas boas e legítimas para todos. Assim, a força do exemplo de pessoas tidas como modelos da sociedade conduz multidões ao erro, principalmente crianças e adolescentes. Por exemplo, o homossexualismo e a magia são dois produtos em destaque nas vitrines modernas.

A multiplicação causa banalização. As tentações estão em cada esquina. Parece que existem muitas árvores do conhecimento do bem e do mal em nossos jardins, como resultados das sementes daquela que estava no Éden. A iniquidade se multiplicou (Mt. 24.12), tornando-se parte da cultura. Se todos fazem, parece que eu posso fazer também. Esta é a perigosa conclusão individual. Por exemplo, a virgindade é um valor do passado. A prostituição tornou-se regra geral. Algo mais recente é a pirataria generalizada, por meio da qual os direitos autorais são roubados.

CUIDADO COM OS PECADO DE ESTIMAÇÃO.
Como definir um pecado de estimação, é aquele pecado que você alimenta todos os dias.
Como identificar um pecado de estimação?
1. Quando ele já não nos entristece mais (Sl 38.18).
“Confesso a minha iniqüidade; suporto tristeza por causa do meu pecado.” Quando o pecado já não nos causa tristeza ele se torna muito perigoso. Pode ser um pecado de estimação.
2. Quando ele já não nos incomoda (Pv 14.9).
“Os loucos zombam do pecado...’ Quando já não somos incomodados pelo pecado, não ficamos angustiados e tristes, pode ser um pecado de estimação.
3. Quando não o abandonamos (Sl 32.3-5).
“Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado.”
O que acontece é que nós os acariciamos e com isto eles são nutridos por nós e crescem juntamente conosco, comendo como se fossem da nossa própria carne, bebendo do nosso próprio copo. Esses pecados nos dominam ao invés de serem por nós dominados. Procuramos agradar nossa carne e não a Deus, ou seja, Deus precisa esperar enquanto o pecado é servido em primeiro lugar.
Ilustração: O viajante e cobra que estava morrendo de frio.



O arrependimento nos leva ao perdão dos pecados. O que é arrependimento:

Primeiro: É sentir tristesa pelo pecado.
Segundo: Confessar o pecado.


Terceiro: Abandonar o pecado.

0 comentários :

Postar um comentário

O seu comentário é muito bem vindo e será respondido o mais rápido possível. Porém, gostaria de solicitar que todos os comentários sejam respeitosos e sobre o tema citado na postagem. Além disso, não aceitaremos postagens anônimas. Desde já, agradeço!